segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Para Refletir!

“O que ainda nos preocupa é a harmonia entre os homens, a confiança e o respeito que deve existir entre todos aqueles que, convivendo, constroem o presente e o futuro.
Gostaria de ver, nesse conjunto de pessoas – desde a pessoa com deficiência mais profunda à mais talentosa, da mais desajustada à mais integrada- todas irmanados e membros de uma só família, ajudando-se e respeitando-se mutuamente”
Helena Antipof (1932)

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Jequié cidade Polo de Educação Inclusiva!

Vocês sabiam que Jequié é polo de educação inclusiva? O Ministério da Educação e Cultura-MEC escolheu Jequié como um dos polos de Educação Inclusiva abrangendo 61 municipios da nossa região.Esse mérito deus-se pelo trabalho desenvolvido pelas ONGs: Associação de Pais e Amigos dos Exepcionais-APAE, Escola Maria Rosa-CEMAR e Associação Jequieense de Cegos- AJECE em parceria com a Secretaria Municipal e Estadual de Educação

domingo, 9 de janeiro de 2011

Sobre o som do Silêncio!

Para Refletir


Você já tentou assistir algum programa de televisão no modo mute?

Vamos fazer a experiência e depois comentar?

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Direito a educação da Pessoa com Deficiência

Palestra.
De onde surge o direito à educação das pessoas com deficiência?
 Professora Especialista: Ivani Duarte

Temos o direito a sermos iguais quando a diferença nos inferioriza; temos o direito a sermos diferentes, quando a igualdade nos descaracteriza. "Boa Ventura Souza Santos"


Declaração Mundial sobre Educação para Todos  Março de 1990 – Conferência Mundial de educação para todos (Jomtien, na Tailândia 1990), promovido pela UNICEF, UNESCO, Banco Mundial pretendia atingir a Educação para todos em 2000. Participaram 155 governos e 1.500 delegados.Constatou as dificuldades relacionadas à garantia do direito a Educação
   
Declaração de salamanca Junho 1994 – Conferencia Mundial sobre necessidades Educativas especiais, em Salamanca “Declaração de SalamancaOrganizada pela UNESCO e Governo da Espanha. Participação de 94 representantes governantes. Estabeleceram a filosofia e a prática da inclusão como compromisso de trabalho
O que diz a constituição Brasileira?
Art. 205 – A educação é direito de todos e dever do estado e da família
Art. 206 – princípios democráticos: a igualdade de condições é necessária para o acesso e permanência na escola
Art. 208 – garante ao PNE atendimento educacional especializado, preferencialmente na rede regular de ensino
LDB – 9.394/96
Cap. V destinado a Educação especial
Art. 58 – garantia de matricula para os PNE, preferencialmente na escola regular
   - criação de serviços especializados para atender as especificidades
   - oferta de educação especial durante a
   educação infantil
Art. 59 – Especialização de professores
Art. 60 – ampliar o atendimento aos PNE na própria escola
Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA (Lei 8060 – MAS, 1990)
O ECA foi publicado em 1990 como uma resposta às diretrizes internacionais estabelecidas pela Convenção dos Direitos da Criança (ONU, 1989). O Estatuto prioriza a criança e o adolescente e estabelece os direitos e os deveres do  Estado para com todas as criança e jovens brasileiros:
nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punindo na forma da lei qualquer atentado por ação ou omissão aos seus direitos fundamentais.
Com relação especificamente às pessoas com deficiência, o Estatuto ressalta que terão atendimento preferencialmente, no sistema regular de ensino
assim como estabelece o dever das escolas de responderem a essas necessidades, desde a educação infantil (Art. 3o.).
Segundo todos esses documentos, todas as crianças devem ser acolhidas pela escola, independente de suas condições físicas, intelectuais,sociais, emocionais.
O avanço na legislação deveria representar um avanço na inclusão de pessoas com deficiência nos sistemas educacionais assim como – se considerado os textos legais – o acesso, a permanência e o sucesso escolar de alunos e alunas com deficiência deveriam estar representados no panorama educacional atual.
No âmbito da educação, dados oficiais atuais (MEC/SEESP, 2008) indicam que, embora as matrículas estejam aumentando na rede de ensino, as condições educacionais se mantêm desiguais para os estudantes com deficiência:
A Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva 01/2008 propõe a mudança de valores, atitudes e práticas educacionais para atender a todos os estudantes, sem nenhum tipo de discriminação, assegurando qualidade na educação.
O Brasil precisa enfrentar o desafio de promover as condições reais para o ensino, a aprendizagem e a educação de TODOS os alunos. A educação de qualidade passa pela organização do sistema público de ensino, dos espaços escolares, da gestão da escola e da sala de aula. A escola cumprirá seu papel de agência de formação, quando for capaz de EDUCAR todos os alunos e não apenas parte deles.
Os direitos são desrespeitados   em decorrência da desinformação sobre as deficiências; preconceito; estigmas que povoam o imaginário coletivo.
Os textos legais permitem a construção de uma sociedade mais justa, solidária, sem discriminação, torna-se evidente a necessidade de aplicação, urgente